domingo, junho 24, 2007

Tudo deserto de fim-de-semana...

Como poderemos sequer considerar (ou imaginar), uma área situada em pleno deserto, protegida, ou reserva de qualquer coisa, ou até, aquífero (como?) extenso? Dirá atordido, o Sr. Lino.
Assim, informa-se e rectifica-se: temos Lisboa, a paisagem e o deserto. E porque não?...

1 comentário:

Rogeriomad disse...

Daqui a muitos anos...
Daremos razão ao senhor Mário Lino.
Ele tem já uma visão que nós não temos, mas é real. É óbvio que não devemos interpretar à letra a treta que saiu da boca dele...
Mas se pensarmos bem...

O Alentejo não sofre de erosão e desertificação? O Algarve não está praticamente apenas povoado no litoral?
O sul do país nas épocas mais quentes não sofre com falta de água?

O Sul caminha ou não caminha para um autêntico "deserto"?

E se compararmos o investimento público que é realizado no sul com o que é realizado no norte, então caros amigos sulistas... vivemos num verdadeiro deserto.

Lembram-se da promessa eleitoral "Hospital Central do Algarve" no parque das cidades? O que fez o governo? Muda o nome de Hospital Distrital de Faro para Hospital Central. Porque tem uma série de valências que os outros não têm. Então faz todo o sentido chamar-se Hospital Central. Só agora?

Sabem o que já se diz por estes lados? Esperemos mais 30 anos... como esperamos pela "Auto-estrada do Sol", como esperaremos pela requalificação da linha ferroviária do Algarve, como esperaremos pelo TGV... como esperaremos pela porra da Regionalização que nunca mais chega!
Tudo no sul do país se processa de uma forma lenta... muito lenta... Parecemos que estamos a caminhar num deserto...
Ninguém corre num deserto!
"A não ser que tenha os pés a escaldar, mas entretanto aparece um Oasis (anunciado pelo governo) e ajuda a aliviar a tensão"

Este mapa ilustra a ridícula frase do Ministro Mário Lino, mas, ao mesmo tempo, ilustra a ridícula interpretação de quem o ouviu.