domingo, novembro 09, 2014

Fome e Miséria Internacional (sendo os muros uma sua expressão)

"Como posso eu dizer que te amo, 
se não encontro amor em mim?
Apenas mágoa, de tanto calar a raiva
e o nojo da minha condição.

Enxovalhado no trabalho,
maltratado na doença,
humilhado no salário,
aviltado na dignidade,
resta pouco para gostar de mim
e ainda menos para amar."

"Hipótese de Suicídio", Mão Morta


O suicídio é um forma de controlo da população.
As vacinas também o são.
As guerras e guerrinhas.
Também a má alimentação e a sua falta  a que o capital condena milhões.
Exclui seres, ditos inferiores, e inacessibiliza o outro lado, onde, refastelados, os acumuladores consomem.
Sociedade esmigalhada, desvalorizada, esvaziada, ao sabor do rodopio.


Exclusividade e exclusão como formas de violência social
Foto de E. Soja, São Lázaro, Braga, 19.09.2014

São muros da vergonha, onde ainda não cheira a anacronismo.
Pois que a mente tem muitos muros no pensar.



Os ventos uivam, morres pela lei.
E até já vais preso se alimentares um desses halbermensch.

Não, nós não estamos mortos.
pois quanto menos resta,
menos há a perder.
E é a saltar muros que se morre a viver.