quinta-feira, abril 30, 2009

Os porcos vêm de avião

O fedor existe, mas além de nunca termos querido erradicar as suas causas, afogando-nos em perfume, sempre temos contribuído para o alimentar.

Este é apenas mais um sinal de que a sociedade industrial que o dito Ocidente construiu e já por todo o mundo colonizou está assente em pilares de areia.

A questão é que agora chega ao fim da linha: a cadeia alimentar. E aí, nós, coitadinhos de nós, já nos sentimos afectados.

A multiplicação do negócio de formas insustentáveis tem os seus "danos colaterais". Daí a insustentabilidade.
Até ser descoberto, contestado, proibido ou erradicado, quem o gere pouco se importa com o "fogo amigo". Os ganhos valem incontestavelmente mais que as perdas.

Em 1966, por exemplo, havia nos Estados Unidos 53 milhões de suínos distribuídos por um milhão de granjas. Actualmente, 65 milhões de porcos concentram-se em 65.000 instalações. Isso significou passar das antigas pocilgas aos ciclópicos infernos fecais de hoje, nos quais, entre o esterco e sob um calor sufocante, prontos para intercambiar agente patogénicos à velocidade do raio, se amontoam dezenas de milhões de animais com mais do que debilitados sistemas imunitários.

Aí vêm eles!(Foto vilipendiada por Eduardo F.)


Agora, tomados já pela ante-febre, encetemos a contestação e a tomada de medidas. Medidas contra a nossa própria concepção do mundo:

Fechemos as portas!!!
Não deixemos entrar nenhum animal com termómetro na boca e bochechas rosadas.
Sobretudo se vier de avião!

quarta-feira, abril 29, 2009

"Matar também é preciso"

Nem sei por onde começar...

Em primeiro lugar gostaria de vos chamar à atenção para um aspecto que me parece essencial revelar-vos, como quem sussurra, em segredo, algo de que nos esquecemos ou em que ainda não tivemos possibilidade de reparar. E vou fazê-lo com uma imagem. Pode ser esta:


Retirada daqui


Não, não é nenhuma piada de mau gosto.
Com esta imagem apenas optei pela estratégia do "inimigo", que anda a roubar-nos a atenção e a capacidade de discernimento: os textos longos, como este ameaça tornar-se, são enfadonhos e desviam-nos das coisas importantes que neles por vezes se dizem.

Daí a imagem. Para vos prender mais um bocadinho.
Não, não estou a brincar. Estou a ser transparente. Vêde quantas vezes já caísteis nesta armadilha sem pestanejar. Agora até podeis dizer "este gajo quem é que pensa que é?", ou até já ter clicado para uma outra qualquer página na teia (net). Não me interessa. Quem quiser saber porque pus aquela frase no título terá de "enfadar-se" com o resto deste texto. Porque a liberdade que nos permite expressar-nos vale muito pouco se não nos permitir também ser ouvidos.

Ora bem, certamente estareis lembrados do beijo da Britney e da Madonna aqui há uns tempos. Correcto? Não houve uma velhinha lá pràs bandas dos EUA que interpôs um processo à estação televisiva que transmitiu tal "imoralidade", obrigando-a a pagar uma multa de não sei quantos dólares?

Quer dizer, e quem percebe de Direito poderá corrigir-me, estamos perante uma discussão entre liberdades: a liberdade de transmitir, sem censura, o "directo", e a liberdade / respeito de "não ter que levar" com certas coisas. Talvez, nesta questão ética de justiça, estejamos a falar de "liberdade de informar" e "direito à privacidade". Não sei bem precisá-lo.

Na mesma situação estaria, então, este triste episódio. Sim, estamos a meter a mão numa parte sensível da sociedade dita democrática.

Pois bem, da mesma forma eu gostaria, e ainda hei-de pegar num qualquer artigo da Constituição da República Portuguesa à luz do qual eu possa fazê-lo, de processar a Rádio Renascença. Porquê, perguntais-vos a estas horas da maturidade?

Nem vale a pena vir com a contextualização da frase que entitula este artigo. Tal soar-me-ia, sem outra hipótese, a desculpabilizar, a minimizar a gravidade do que ela, nua e crua, quer dizer só por si.

Foi na noite de 24 de Abril, pouco antes das zero horas, 35 anos depois de umas zero horas em que este país iria começar a mudar.

Um sujeito - "Ei! Ei!, atenção à liberdade de expressão, que é sagrada" (dir-me-ão. Espera, que eu já te respondo...) - estava a dar a sua opinião sobre o 25 de Abril, a falar das colónias e a dizer que as mesmas foram entregues muito cedo... Tudo bem. Não discuto, porque é passível de discussão.

Depois, a dada altura, diz isto:

"Matar também é preciso."


Não sei o que dizer. O que sei é que, em nome da liberdade pela qual lutaram, e que esse senhor, ao que parece, despreza, ou odeia, então também posso dizer o seguinte:

"Por uma frase dessas, o senhor devia ser preso."


O Georden vem , contudo, manifestar o repúdio contra a falta de valores, ou contra ditos valores que são contrários à dignidade humana, ao respeito pela diferença e à amizade entre os povos. Falta de valores expressa na belíssima frase do sujeito que falou, em directo e sem censura, na Rádio Renascença.

Esse, e outros seus semelhantes, são atrasados mentais.
Continuamos a insistir que não têm outro qualificativo.


E se querem realmente que vos diga, ou confesse, digo-vos que, apesar de beneficiarem dos seus frutos, não foi por pessoas a pensarem assim que os militares fizeram a revolução.

terça-feira, abril 28, 2009

Geosfera: Drawing the future in GIS

Clica para projectares o futuro
Caros amigos,

Propomos a visita do novo site da Geosfera!

Para quem não sabe a GEOSFERA "começou a sua actividade em 2007, tendo começado a operar na qualidade de um gabinete de estudos, congregando áreas de actividade tão diversificadas como aquelas que o acrónimo GEOSFERA evidencia — Gabinete de Estudos de Ordenamento, SIG, Formação E Riscos Ambientais."

"Acresce ainda que é a distribuidora oficial de software SIG da Clark Labs, (entre os quais se conta o IDRISI) e também da companhia asiática SuperMap em Portugal. A GEOSFERA passou por um período de reestruturação recente e está a assumir uma vocação direccionada para a apologia de soluções SIG alternativas para uma maior abertura de mercado e melhor adequação dos recursos em face às necessidades reais dos utilizadores das geotecnologias."

+ info
morada Rua General Ferreira Martins,
nº10, 8ºA,
1495-137 Algés (Portugal)
telf. (+351) 211 502 004

segunda-feira, abril 27, 2009

Expomar 2009

Clique para entrar

"Vimos por este meio trazer ao vosso conhecimento a realização da Expomar de 30 de Abril a 3 de Maio de 2009 em Olhão. A Expomar é uma iniciativa da Câmara Municipal de Olhão, organizada pela Efeito Eventos em conjunto com a Fesnima e com o apoio da Alentexpo, que consiste numa mostra relacionada com o mar e actividades náuticas.

Com o objectivo de assinalar a 6ª edição da Expomar de forma única na história e na relação que cada um de nós individualmente, as empresas, associações e outras entidades da região têm com o mar e com a ria Formosa, propomos este ano a realização de acções de sensibilização e limpeza de algumas zonas marítimas.

A Marear é, portanto, uma iniciativa paralela à Expomar, apoiada pela Câmara Municipal de Olhão, Hidroespaço, Natura Algarve, Jornal O Algarve e SPEA, que tem como objectivo sensibilizar a opinião pública para os efeitos nefastos dos detritos de origem diversa no bem-estar ecológico, visual e económico da ria Formosa.
Vamos promover uma acção de limpeza subaquática e de superfície das ilhas barreira no dia 30 de Abril das 9:00 às 13:30, disponibilizando transporte e materiais para os todos os voluntários.

Convidamos-vos a unir os vossos esforços aos nossos contribuindo, de forma exemplar, para a manutenção de um dos nossos maiores recursos, o mar, promovendo em simultâneo o bem-estar de todos nós que vivemos no coração da Ria Formosa, a porta do nosso mar!"


Para mais informação e inscrições contacte por favor:

Sandra Godinho
917241252

domingo, abril 26, 2009

"Democracia Light"

Clica para aumentarPor LEM, 2007.

domingo, abril 19, 2009

sexta-feira, abril 17, 2009

Dá-nos licença para falar, Sr. Alberto Martins?


Faz hoje 40 anos que o sr. Alberto Martins, à época presidente da Associação Académica de Coimbra, e residente (como mais tarde este escriba) na Real República dos Pyn-Guins, hoje por hoje, deputado na Assembleia da República pelo PS; faz hoje 40 anos (1969), dizia eu que, o sr. Martins pediu a palavra, na famosa sala Infante D. Henrique (hoje 17 de Abril), ao sr. Presidente da República Américo Tomás, para falar em nome dos estudantes (vínhamos do Maio de 68 e os estudantes tinham várias reivindicações e queriam ser ouvidos). Foi-lhe negada. Falaria a seguir o ministro (acho) das obras públicas. Os estudantes protestaram. À noite Alberto Martins estava preso. Ele e outros. Seguiu-se-lhe um período de prisões, perseguições e exército nas ruas. Foi decretado o luto académico. Meses de tensão abraçaram os estudantes unidos. Ainda apanhei no início da década de 1990 um pulsar genuíno da força e do potencial estudantil quando unido e quando esclarecido. Lia-se muito. Avidamente, o que ajuda. Queria-se (alguns pelo menos) conhecer a história e as estórias da academia e da sua intervenção política e social, e menos a mascarada das praxes e da tradição retocada e fantasmática. Não sei se ainda resta alguma coisa. Mas hoje na Assembleia parece que é proibida a utilização de certas palavras ("autista", por exemplo, a pedido de certas famílias) na senda do que já vem sendo habitual, com a censura de livros e de desfiles de Carnaval, entre outras mordaças. Já agora, dá-nos licença que tomemos a palavra sr. Alberto Martins?
Não seja autista…

domingo, abril 12, 2009

"Flexigurança"

Clica para aumentarPor LEM, 2007.

sexta-feira, abril 10, 2009

Seminário Comunidades Saudáveis e Promoção de Estilos de Vida Activos

Clica para aumentarDivisão de Desporto - Câmara Municipal de Oeiras
Mais informações mexa-semais@cm-oeiras.pt

quinta-feira, abril 09, 2009

Incompetência, Negligência ou Má-fé

Clica para aumentar "Serpenteando entre montes", em linhadotua.net


Carta Aberta ao Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações


Incompetência, Negligência ou Má-fé



Exmo. Sr. Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações
Exma. Sra. Secretária de Estado dos Transportes


"A calamitosa política de transporte seguida para as Vias Estreitas (VE) do Douro nas últimas três décadas atingiu o ponto de ruptura. A falácia do prejuízo nestas vias-férreas, mesmo tratando-se de um serviço público a manter para bem da solidariedade e coesão social, e malgrado a forma danosa como têm sido administradas, esquece convenientemente os desastres financeiros da Carris e dos Metros do Porto e de Lisboa, averbando respectivamente prejuízos crescentes na ordem dos 18, 150 e 160 milhões de euros, suportados por todos os portugueses, do Litoral ao Interior e Ilhas.

O fundamentalismo do alcatrão culminou na imobilização de todo o país em Junho de 2008, face à dependência do petróleo e da rodovia, assistindo-se a uma escassez de víveres preocupante numa questão de dias, enquanto apenas 3% das mercadorias é transportada por via ferroviária. O favorável panorama petrolífero actual é passageiro, e será agravado pela imposição das chamadas taxas ecológicas, com impactes muito pesados para o transporte rodoviário de mercadorias. A terrível dependência energética de Portugal sobressai no sector dos transportes, responsável por mais de metade deste bolo de poluição e ineficiência, que em nada será aplacado pela construção de barragens. Ainda assim, assiste-se à construção mediatizada de mais e mais auto-estradas, mormente no Litoral, em investimentos de milhares de milhões de euros, enquanto o investimento nos caminhos-de-ferro atinge o seu valor mais baixo em 13 anos (250 milhões de euros), numa queda que com o actual Governo acelerou notavelmente. De facto, apenas a Grande Lisboa e o Grande Porto reúnem tanto investimento em estradas num ano como o país inteiro em caminhos-de-ferro em quatro."

Ler mais aqui.

Movimento Cívico pela Linha do Tua, 2 de Abril de 2009

segunda-feira, abril 06, 2009

INSPIRE


INSPIRE PT - Blogue dedicado à transposição da directiva europeia INSPIRE para o quadro legislativo português, regulamentando a produção de informação geográfica nacional de acordo com as normas europeias.

Holocausto na Lagoa dos Salgados

Em youtube.com

domingo, abril 05, 2009