sexta-feira, junho 15, 2007

O desenvolvimento continua

Ler

O Povo de Guimarães, 8-Junho-07, p. 11

Quem dá a cara são os vereadores do urbanismo. Os técnicos, como no livro "A Mansão dos Pimpão", parecem cientistas sequestrados pelos poderosos.

Estes têm uma linguagem muito própria:

"Estamos a falar de mais de 3 mil postos de trabalho"

"Guimarães passou muito tempo com apenas uma superfície comercial enquanto outras cidades foram aumentando este tipo de oferta (...)"


Enfim, a reprodução do sistema continua: a ameaça que faz de nós reféns - os postos de trabalho (que qualificação criam esses postos de trabalho? - perguntamos) - doura-nos as orelhas.

Leiam o artigo e fiquem a saber mais.

8 comentários:

Rogeriomad disse...

Fogo...
Já conhecia a intenção de construção do Guimarães Plaza, mas do Espaço... nunca tinha ouvido falar.

Para uma cidade como Guimarães, que já tem um Shopping e que tem uma série de pequenos shoppings (que morrem ano para ano), com um centro histórico dinâmico ao nível comercial será que precisa destas infra-estruturas?
Mercado não lhe falta...
mas será necessário?
O que acontecerá ao Triângulo, ao São Francisco, ou Palmeiras, Santo António e ao próprio Guimarães Shopping? Este último já vê a sua situação agravar-se e já contra-ataca com obras a ampliação.

A justicação politica é de risos...
Se dissessem que era apenas para meter dinheiro ao bolso... seria palpável, agora dizer que "Guimarães passou muito tempo com apenas uma superfície comercial enquanto outras cidades foram aumentando este tipo de oferta" é de risos!?

Postos trabalho são precisos! Encerram fábricas abrem McDonaldas e Cinemas (vamos substituir emprego a tempo inteiro por emprego precário e em part-time)...

Enfim...
é triste...

Mas acho bem...
Depois certamente haverá mais variedade de escolha para os casais vimaranenses:
-"Amor queres comer um hamburguer em que shopping?"
-"Ai hoje quero uma francesinha do Costa!"

Quem é que quer saber de shoppings, quando temos tascas e restaurantes fantásticos em Guimarães!

Sobre as salas de cinema:
Teatro Jordão e Cinema de S. Mamede fechados...
Vila Flor em grande...
O que acontecerá com as sessões do Guimarães Shopping? As salas do Santo António estão fechadas (devido ao Guimarães Shopping)...
Haverá mercado? Serão necessárias mais salas de cinema numa cidade com a dimensão de Guimarães?
Guimarães será a capital das salas de cinema? Já não é Património da Humanidade?

Depois do título Património da Humanidade ganhará o título de "Património da Desahumanidade"...

Enfim...

Mas uma coisa é verdade...
Os políticos sabem muito bem defender as coisas que lhe apetecem...

Saudações geo,

Rogériomad

Vidal disse...

Curiosamente, ou talvez não, isto acontece numa altura em que este tipo de espaços começa a regredir na Europa, em número e em tamanho. O atraso endémico do costume.
Mas em Guimarães para quê? Ah, é para *oder braga?
Braga já os tem suficientes para abarcar o potencial da região. Vai abrir mais um na zona Norte da cidade, dolce qualquer coisa…Venham a Braga.

A propósito, deixei de ir ao cinema no Braga parque, porque a última vez que lá fui, parecia que me encontrava num congresso de roedores a namorar e ao telefone( ás vezes as duas coisa), no escuro.
Só por curiosidade, os “modernaços” cá do quintal, saberão que em Londres, essa capital cosmopolita, com os seus 8 milhões de habitantes, 33% (!) da cidade é ESPAÇO VERDE PÙBLICO: jardins, parques, pistas???...

Rogeriomad disse...

A este nível...
O Algarve vive melhor como região do que o Minho. O Minho nunca se afirmou como região...
Também vejo isto como uma resposta ao empreendimentos comerciais de Braga!

Até neste aspecto há falta de planeamento regional. Se há oferta destes espaços em Braga, Guimarães, Porto, etc... Porquê construir mais? Roubar mercado aos bracarenses e portuenses? Porque não apostar noutras coisas?

As obras do mercado de guimarães? a Requalificação da Colina Sagrada?
Solução para o cinema de S. Mamede e Teatro Jordão? Requalificação do Centro histório não classificado?

Ou será que estas obras estão dependentes da aprovação destes shoppings... Primeiro os shoppings, depois o que realmente deve ser feito avançará!

Oh! Claro... tudo é economia... ou falta dela...

Abraço,

Eduardo F. disse...

Eu acho é que Guimarães, que me parece - penso razoável? - com tantos problemas como Braga, está a tentar ir pelo mesmo caminho que a sede de distrito...

(esta alusão à sede é só para o texto não ficar redundante - não é nada relacionado com paternalismo...)

E se assim for, então estamos a ir mal. Muito mal.

Vidal disse...

O caminho parece ser esse: se um tem centros, como Braga (que a malta de gUimarães frequenta), os outros também querem; se tem um determinado equipamento, o outro faz igual ou parecido, e por aí... Não percebem que assim divergem em vez de convergir:Em vez de pensar e ordenar em conjunto apresentam-se como concorrentes...Ora isto não faz sentido com distancias tão curtas.
Não aprenderam nada com o textil!!!

Vidal disse...

Não percebem, que dentro da própria cidade vão surgir concorrências brutais, novo redimensionamento do tecido económico, novas centralidades, urbanização e especulação, e não se resolve problema algum de emprego. Existirá uma estratégia que preveja tudo isto?
As cidades tem que ser todas iguais?

Rogeriomad disse...

Muito bom! Concordo plenamente.

No artigo também mostra a opinião do responsável do urbanismo/planeamento ou sei lá como se apelida (na volta nao é responsável nenhum)...

Mostra de certa forma que a cidade será organizada/planeada segundo estas construções. As acessibilidades serão reordenadas, todo o espaço urbano irá de encontro com estas novas centralidades... ou seja, surgirão espaços espectantes... óptimos para a proliferação de urbanizações que vão desfragmentar todo o espaço da cidade. No fundo como aconteceu com Braga. Não?

Rogeriomad disse...

Ah! respondendo à tua pergunta.
Espero que haja estratégia...
E que o planeamento se faça de uma forma faseada (mas já prospectivada) e controlada...

"Com tranquilidade..." ;)