sábado, maio 31, 2008

Recomendações da CP para o nosso conforto...

Clica para entrarFoto retirada do site cp.pt.

1. “Encontram-se em 2.ª classe numa zona de Não Fumadores identificada pelo pictograma junto.”
Isto quererá dizer que ainda existem zonas de Fumadores nos comboios da CP?


2. “Por cima do seu lugar, dispõe de uma luz individual de leitura, comandada por um botão.”
Uma luz individual, de leitura e comandada por um botão é uma luz muito específica para mim. Se quiser desenhar, posso ligá-la?


3. “Para o seu vestuário existe um cabide na parte fixa do cortinado.”
Estarei num “salão” naturista?


4. “Estão à sua disposição 2 W.C. localizados numa das extremidades deste salão. A sua ocupação é sinalizada num indicador luminoso, cor de laranja, situado por cima da porta de acesso ao salão do lado do W.C.”
Onde estão localizados? Onde? Onde? Se fosse cego não veria nada e nem conseguiria ler esta informação toda. Acabava por me cagar todo...

Clica aqui para ver o serviço de mobilidade universal da CP para Clientes com Necessidades Especiais (CNE).


5. “À entrada do salão existem compartimentos de bagagem para malas volumosas. Como medida de precaução não deve colocar aí objectos de valor.”
E o que fazemos às malas volumosas de valor?


6. “As portas do salão abrem-se, sem esforço, com uma simples pressão no manípulo. Fecham-se automaticamente.”
Salão? Pensei que se chamasse carruagem...

+ info
cp.pt


Durante a minha viagem, cheguei a pensar: Será que isto foi traduzido do alemão? Algumas das recomendações parecem...
Se adaptamos carruagens em 2.ª mão de países do 1.º Mundo, também, podemos muito bem adaptar a escrita deles à nossa.

sexta-feira, maio 30, 2008

Eu como Bacalhau da Noruega...

Clica para aumentar Clica para aumentar
Fotos de Bosque da Noruega, Guimarães, 29.05.08.
(Sim, fui eu que tirei as fotos. Nunca ouviram falar em temporizador automático?)


Caro amigo Eremita obrigado por me deixares ficar em tua casa. Gostei muito do teu quarto e de dormir na tua cama. Desculpa lá as prendinhas escorregadias e cheirosas que por aí deixei.
Ao contrário do Georden, ontem não consegui ler o teu blogue, daí ter virado as costas, mas não te preocupes, eu adicionei o teu feed nos favoritos e quando tiver mais vagar leio o teu blogue com mais calma.
Bem, tenho de ir jogar CS antes de ir dormir...
Ah! Não te esqueças de me adicionar no MSN, para jogarmos damas online, e como "friend" no hi5 (já vi que tens muitas amigas) e envia-me um e-mail com os endereços daqueles sites de gatinhas que falamos...

Abraço.

Bosque da Noruega

quinta-feira, maio 29, 2008

Para o geógrafo viajante...

Clica para aumentar Foto retirada do artigo "InterCidades" do blog Inovação & Inclusão.

...não há nada pior no mundo do que viajar de comboio, comprar bilhete com lugar do lado da janela e não haver janela...

Sou azarado...

...e pior de tudo foi viajar com passageiros que são muito sensíveis à luz do Sol...

...sou mesmo azarado!

Percorri 600 km num túnel.

quarta-feira, maio 28, 2008

Festimad Sur com o tema "Biodiversidade Musical"

Clica para entrar"Bajo el lema "Biodiversidad Musical", Festimad Sur amplia sus horizontes musicales con la inclusión como cabezas de cartel de Emir Kusturica & The No Smoking Orchestra el viernes, día 6 de junio, y de Linkin Park, en su única actuación en España, el sábado 7.

A las 16:00 horas del Viernes se abrirán puertas con las actuaciones de los grupos seleccionados por el certamen más veterano de los festivales españoles, Festimad Sur Music. Vita Imana, The Rejects, Rokcinante, Nu Eve, Gizmo, Fetus In Feto y Day Of Rising son las bandas a descubrir por los espectadores con mentalidad más exploradora.

Tras ellos, tres formas diversas de afrontar el compromiso entre música y palabra: Kumar desde Cuba, Bigg desde Marruecos y, desde Madrid/Guinea, El Chojín.

El sábado, desde las 17:30 h. Nunnery calentarán al público, seguidos por los galeses The Blackouts y Lostprophets hasta que, sobre las 20:00 h., comience la esperara presentación en excusiva de Linkin Park, tras más de 4 años de ausencia de los escenarios españoles.

No faltarán a la cita las actividades de participación habituales en Festimad Sur: Fotomad, los espacios de muestra de sensibilización social, cultural y ambiental y Graffiti Sur que, tras batir el Record Guiness durante la pasada edición, en ésta se atreve con una recreación actualizada de las Pinturas Negras de Goya a cargo, entre otros, de Beto, Moze, Kool y Mata.
"


Más información en

festimad.es
915 220 359

domingo, maio 25, 2008

"Êxodo nacional"

Clica para contemplarPor Phermad, 2007.
[Cartoon publicado originalmente no jornal Barlavento
]

sábado, maio 24, 2008

2º Seminário "Eficiência Energética"

Clica para ver programaNo âmbito das comemorações do Dia Mundial da Energia, a Biblioteca Municipal Álvaro de Campos, em Tavira, recebe, no próximo dia 29, Quinta-feira, o 2º seminário “Eficiência energética”.

Uma iniciativa da Divisão do Ambiente e Energia da CM Tavira que visa dar-nos a conhecer uma utilização mais eficiente da energia através da aposta nas fontes de energia renováveis como uma solução para combater o problema das alterações climáticas.

Ler mais.

Gab. Comunicação e Imagem
Praça da República
8800-951 Tavira
Telef.: 281 320 532
Fax: 281 324 752
E-mail:
comunicacao@cm-tavira.pt

sexta-feira, maio 23, 2008

O carro fotógrafo da Google

Clicar para conduzirA Google está a percorrer as ruas de Madrid, Barcelona, Valência e Sevilha com estes automóveis, que se encarregam de fotografar todas as suas ruas, passo a passo, com o objectivo de estender o serviço de Street View nestas 4 cidades espanholas no Google Maps e Google Earth.
O Street View já existe em cerca de trinta cidades americanas e algumas europeias e oferece uma visão panorâmica (360º) das ruas como se estivéssemos a conduzir.


Parte traduzida e resumida do artigo original publicado no El Mundo.

Assim é que era...

Retirado de um DN antigo, por Angeli

terça-feira, maio 20, 2008

Tecnologia RSS do Georden

Ícone do RSSAo usarmos a tecnologia RSS (Really Simple Syndication) permite-nos receber notificações das actualizações mais recentes dos sites e/ou blogs, previamente seleccionados e adicionados, num programa/aplicação capaz de ler as suas fontes (feeds). Com isto podemos estar informados de todas as actualizações dos nossos sites/blogs favoritos sem termos de os visitar um a um.

+ info sobre RSS clica aqui.


De forma geral, todos os blogs disponibilizam um link que dá para ser lido em qualquer leitor de RSS. O do Georden é:
Para vos facilitar a procura do referido link, disponibilizamo-lo no início da barra lateral com o ícone oficial do RSS. Recordo que o podem encontrar no final de todos os artigos publicados: "Subscrever: Mensagens (Atom)"

Se o conteúdo do Georden é do vosso interesse, propomos três coisas:
- Adicionem este link nos feeds favoritos do vosso explorador de internet;
- Adicionem este link no vosso leitor de RSS preferido. Dois deles podem ser o Google Reader e o Bloglines. Explorem-nos!;
- Para quem tem conta no Gmail, adicionem este link nos clipes do vosso e-mail (Configurações » Clipes da Web » Introduzir link » Pesquisar » Adicionar).

São só umas dicas para sustentar entre amigos.

Abraço.

segunda-feira, maio 19, 2008

A nossa agenda...


Olá a todos.

A partir de hoje o Georden disponiliza o seu calendário de eventos e efemérides no final da sua página (façam scroll para ver). Com isto, a secção "Efemérides" desapareceu da barra lateral dando lugar à "Agenda" que nos mostra os eventos mais próximos da data actual.
Esta mini-aplicação da Google pode ser consultada por "semana", "mês" e "agenda". Para consultarem os detalhes de qualquer evento, basta clicar no referido evento. Podem, também, imprimir tudo o que está agendado. Se tiverem conta na Google podem, ainda, adicionar-nos na vossa conta do www.google.com/calendar. Assim, ficarão a saber de tudo o que está programado, por nós, em primeira mão.
No nosso calendário serão apenas adicionados as efemérides e os eventos do nosso conhecimento que abordam a temática do blog e as actividades profissionais e lúdicas dos recicladores do Georden.

"Sustentem o Sustentável de forma programada..."

domingo, maio 18, 2008

"Socrastein"

Clica para contemplarPor Phermad, 2007.
[Cartoon publicado originalmente no jornal Barlavento
]

sexta-feira, maio 16, 2008

"Andanças com Heródoto", de Ryszard Kapuscinski

Andanças com Heródoto
Ryszard Kapuscinski
Edição: Campo das Letras, 2007
Tradução: W. J. Szymaniak; Isabel Ponce de Leão

Imaginem a Polónia do pós (2ªgrande) guerra. Imaginem um país destroçado, uma Universidade em escombros, sem livros. Imaginem as aulas de História Antiga, em pleno Inverno, sem outro suporte de apoio que os apontamentos da aula. Imaginem a cortina de ferro que encerrou a Polónia do outro lado, até cerca de 1990.
Agora imaginem um jovem licenciado em História, imberbe jornalista. Imaginem um Heródoto censurado (ou esquecido?), e esse jornalista a Leste, literalmente, de tudo.
Imaginem que esse jornalista queria ser correspondente, passar a fronteira.
Agora imaginem que, antes da sua primeira viagem ao exterior, em plena guerra-fria, a sua redactora-chefe lhe oferece um livro: Histórias de Heródoto. Essa obra nunca mais deixou Ryszard Kapuscinski até à sua morte, em 2007.

Andanças com Heródoto, principia com a sua primeira (de muitas viagens e obras que publica - sendo considerado em 1999 o melhor jornalista polaco do séc. XX) à Índia, ainda na década de 1950. Inexperiente e com um Inglês macarrónico, sente-se perdido num mundo desconhecido. Começa então, como Heródoto, a observar o melhor que pode:

A Índia é tão grande! Como descrever então aquilo que, na minha percepção, não tinha limites?(…)
Não sei se Heródoto tinha chegado á índia(…)De qualquer forma conheceu lugares muito distantes da Grécia e descreveu vinte províncias chamadas Satrápias da Pérsia, o Império mais poderoso da altura(…).

A viagem continuou por outros lugares e é interminável.


Adenda: Heródoto – apelidam-no de pai da Geografia e da História. Não sei se o terá sido. Foi certamente um dos primeiros verdadeiros historiadores e geógrafos sistemáticos; observador incansável e intrépido contador de estórias. Nasceu em Halicarnasso e viveu entre 485(?) a 420 a.C. O seu livro Histórias está publicado na Edições 70. São nove livrinhos indispensáveis.

quinta-feira, maio 15, 2008

Festival Mundial da TERRA 2008

Clica para aumentar"De 5 a 8 de Junho irá decorrer em Sever do Vouga a primeira edição portuguesa do Festival Mundial da Terra, levando assim Portugal a participar numa aliança internacional composta por mais de trinta países que lutam pela preservação do nosso Planeta e pelo respeito dos Direitos Humanos. O Festival Mundial da Terra, iniciado em 2004, é uma iniciativa da Associação francesa Terre Alliance, sediada em Paris, e, decorridos três anos, este evento vai poder realizar-se em mais de 45 cidades, espalhadas pelo mundo.
Privilegiando os temas: ambiente, desenvolvimento sustentável, solidariedade e paz no mundo, o Festival pretende possibilitar uma interacção forte e decisiva entre os diversos grupos (associações, ONGs, empresas, cidadãos, escolas, poderes locais) que, em diversos pontos do planeta, combatem por uma defesa eficaz do meio ambiente, e por um desenvolvimento económico sustentável. O objectivo é sensibilizar as opiniões nacionais e internacionais, incitando-as a acções concertadas para se criar sinergias e encontrar soluções inovadoras."

Ver toda a press release
Consultar agenda do festival

+ info
Tel.: 234555566

quarta-feira, maio 14, 2008

Por falar em oceanos...

Aqui está uma breve apresentação sobre jurisdição marítima, mais uma questão que não faz parangonas de jornal, e que (ou talvez, portanto...) devia fazer-nos reflectir um bocado. Se não, basta pensar nos motivos que estão na origem da sua problemática.


Clica para ver em detalhe O imenso espaço marítimo
O mar ocupa 71% da superfície do planeta.
O mar tem-se regido há muito pelo princípio da "liberdade de nevegação". Este princípio foi formulado pela primeira vez em 1609 pelo holandês Grotius: "os Estados devem controlar apenas as baías, estreitos ou zonas costeiras ao alcance da vista ou do canhão".

Clica para ver em detalhe
Para um direito do mar.
Depois da 2ª Guerra Mundial, o princípio da liberdade de navegação foi posto em causa pelo efeito do desenvolvimento da pesca industrial, e pela apropriação, por parte de certos Estados, de zonas de pesca, bem com as explorações de hidrocarbonetos em regime offshore, que representam mais ou menos de 22% das reservas totais estimadas.
Este contexto contribuiu para a formulação do direito sobre o mar. A Convenção sobre o Direito do Mar foi assinada em 1982 em Montego Bay, e ela permite aos Estados exercer a sua soberania sobre os mares e oceanos.

Clica para ver em detalhe
As delimitações marítimas
Assim sendo, temos os limites das águas marcados pelas marés mais baixas, que servem de linha de base para as delimitações marítimas. Aquém dessa linha de base temos as águas interiores, onde se incluem portos, enseadas, estuários, algumas ilhas costeiras.
A soberania é total, idêntica à praticada em terra. Para além desse limite, temos as águas territoriais, com uma margem de 12 milhas náuticas, um pouco mais que 22 km (uma milha náutica equivale a 1852 metros). Nas águas territoriais, os Estados exercem uma soberania completa, compreendendo os fundos marinhos e submarinos. Mas têm de deixar navegar os navios de outros Estados sem autorização prévia, e apenas os navios com propulsão nuclear e os submarinos devem navegar à superfície e levar o padrão nacional.
A zona contígua estende-se por mais 12 milhas, perfazendo um total de 24 milhas desde a linha de base. Nesta zona, o Estado pode reprimir qualquer infracção à sua jurisdição, nos domínios fiscais, aduaneiros, sanitários ou de imigração...
Só depois vem a Zona Económica Exclusiva, a ZEE, que se estende por 200 milhas marítimas desde a linha de base.

Clica para ver em detalhe
A ZEE da França
Graças às suas ex-colónias e territórios d'além-mar, a França possui uma das maiores ZEE do mundo: 11 milhões de km2, menos que os Estados Unidos mais claramente mais que a Austrália.
Nas suas ZEEs, os Estados não são soberanos, mas podem explorar, extrair, proteger todos os recursos que aí acharem, bem com nas águas, nos fundos marinhos e submarinos: peixes, vegetais e, claro, petróleo e gás. A liberdade de navegação está garantida para todos os navios, incluindo navios de guerra, e todo o Estado estrangeiro pode fazer passar oleodutos ou cabos submersos.

Clica para ver em detalhe
O domínio do alto-mar
Para lá dessa ZEE começa o domínio do alto-mar, e é a Autoridade Internacional dos Fundos Marinhos, sedeada em Kingston, na Jamaica, que gere os fundos marinhos como Património Comum da Humanidade.

Conflitos marítimos no Golfo da Guiné Clica para ver em detalhe
Existem muitos conflitos que giram em torno da delimitação das zonas de soberania marítima. É o que se passa no Golfo da Guiné, devido à sua riqueza em hidrocarbonetos. Nomeadamente o caso em torno do arquipélago de São Tomé e Príncipe.
Sendo a distância entre o arquipélago e os Estados costeiros do Golfo inferior a 400 milhas náuticas, as zonas sobrepõem-se.
Sao Tomé tem pois de negociar a delimitação da sua fronteira marítima, segundo o princípio da equidistância, com o Gabão e a Guiné Equatorial.

Clica para ver em detalhe
A delimitação de uma zona comum
Juntamente com a Nigéria, São Tomé decidiu em 2001 fixar uma zona comum de exploração dos recursos petrolíferos e pesqueiros. A questão é que a Nigéria negociou em posição vantajosa, ficando com 60% dos ganhos, não recebendo São Tomé, portanto, mais que 40% do produto da zona explorada.

Clica para ver em detalhe
A delimitação de fronteiras marítimas da Guiné Equatorial
A Guiné Equatorial possui um território localizado entre os Camarões e o Gabão. Mas administra também a ilha Bioko, onde fica a capital, e a minúscula ilha de Annobon. Tal configuração confere a este pequeno país um espaço marítimo gigantesco.
Para delimitar a sua ZEE, o Gabão assinou vários acordos com São Tomé e Príncipe em 1999, e depois com a Nigéria, mas o estabelecimento definitivo das suas fronteiras prossegue.

Clica para ver em detalhe
O conflito na baía de Corisco
São Tomé e a ilha guineana de Annobon impedem o Gabão de aceder ao alto-mar, e amputam a ZEE a que Libreville aspira. Além disso, os dois Estados travam um disputa pela ilha de Mbanié. Em Maio de 1999, a Guiné fixou unilateralmente a sua ZEE integrando esta ilha no seu espaço marítimo. Ora, também o Gabão a integrou no seu mar territorial, pois a ilha encontra-se perto da costa gabonesa. Em causa, o potencial em petróleo. Uma intervenção da ONU levou os dois Estados a encetar negociações para alcançar um acordo. Mas em pleno 2008 continua sem fim à vista.

Clica para ver em detalhe
As ilhas Spratlys
No Mar da China meridional situa-se um arquipélago constituído por 180 ilhéus, recifes, baixios, dos quais apenas 36 ficam submergidos na maré alta: são as ilhas Spratly. Estes ilhéus desabitados são reivindicados por 6 Estados da região: a Malásia, Brunei, as Filipinas, o Vietname, Taiwan e a China, porque essas águas escondem jazidas petrolíferas, cujas reservas estão por confirmar.
A Malásia, Brunei e as Filipinas apenas pretendem a parte das Spratly situada no prolongamento da sua ZEE. O Vietname reivindica quase todo o Mar da China meridional, pois Hanoi crê que herdou as ilhas Spratly, devido a direitos exercidos pelo imperador de Annam. Depois, também a França colonial as reivindica, tal com a China e Taiwan, que consideram que as ilhas Spratly e as Paracel são conhecidas pelos Chineses desde o século II, integrando-as portanto no seu espaço marítimo.
Estas posturas diplomáticas idênticas conduziram à tomada de posição pela posse de diversos ilhéus por Pequim e Hanoi, e até a confrontos militares entre os dois Estados, em 1988, perto do recife Johnson.

Clica para ver em detalhe
Perto de uma coperação regional?
Se nos reportarmos ao Direito ao Mar, constatamos que a zona das 200 milhas que a China poderia reivindicar não integra senão as ilhas Paracel. As Spratly ficam para lá desse limite. Em segundo lugar, a quase totalidade do arquipélago encontra-se sobre um jurisdição de alto-mar (a escuro no mapa), e não devia, portanto, ser integrada na ZEE dos Estados costeiros.
Como todos os Estados com costa no Mar da China são membros da ASEAN, à exepção da China e de Taiwan, a organização regional encetou diálogos institucionais com Pequim. Os quais culminaram na adopção, em 2002, de um código de conduta dos Estados implicados no Mar da China meridional. Em 2003, uma declaração interditava qualquer nova construção nas Spratly.

Clica para ver em detalhe Novas tensões
Em Março de 2005, empresas petrolíferas chinesas, vietnamitas e filipinas assinaram também um tratado para um estudo conjunto de uma parte do Mar da China. Porém, em Abril de 2007, a China protestou contra o Vietname, que espera explorar jazidas de gaz, próximas da jazida de Lan Tay Lan Do, que Hanoi explora desde 2002.



É desta forma, e girando em torno das questões da geopolítica internacional, que versa o interessantíssimo e famoso magazine "Le Dessous des Cartes", que é exibido, entre outros (ver na secção Geo Tv, na barra lateral), no canal Arte. "As fronteiras dos oceanos" foi o tema da emissão de 3 de Maio de 2008.
Tradução de Eduardo F.

terça-feira, maio 13, 2008

Governação Sustentável dos Oceanos

Clica para descobrir Clica para mergulhar

"A Fundação Calouste Gulbenkian, através do Programa Gulbenkian Ambiente, e o Oceanário de Lisboa decidiram instituir o Galardão Gulbenkian/Oceanário sectores da sociedade civil a apresentar projectos que ajudem a implementar políticas de desenvolvimento sustentável para os Oceanos.

Esta iniciativa conjunta visa estimular a investigação, a inovação, a educação e a sensibilização pública para a temática dos Oceanos, tendo em vista o contributo dos mesmos para um desenvolvimento económico e social mais equilibrado, a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos e a preservação e recuperação dos ecossistemas marinhos nacionais."

Difundido via e-mail.

O prazo de envio ou a submissão electrónica das candidaturas:
11 de Abril a 2 de Junho de 2008

Anúncio
Regulamento
Formulário

+ info
Programa Gulbenkian Ambiente
Av. de Berna, nº 45-A
1067-001 LISBOA
T. 21 782 32 37
E-mail: pgambiente@gulbenkian.pt

segunda-feira, maio 12, 2008

Sempre a subir...

Subir para verPassavam das 9 horas quando nos encontrámos no Coconuts (Largo da Oliveira) para tomar o pequeno-almoço. Logo nos dirigimos para o local marcado, Igreja de N. Sra. Da Consolação e Santos Passos, no campo da feira, onde já se encontrava um grande grupo de caminhantes e bêtêtistas a inscreverem-se para o evento. Ao contrário do anunciado éramos convidados (para não dizer obrigados) a pagar 2 euros (que revertiam para a CERCIGUI, uma boa causa, portanto). E foi-nos oferecido um conjunto de bugigangas alusivas à futura capital europeia da cultura 2012 (assim o esperamos).

Subir para verA partida simbólica foi junto de umas das placas informativas do PR3 – Rota da Penha, onde estava presente António Magalhães, presidente da CM Guimarães, Aurora Cunha, ex-atleta olímpica, natural de Ronfe, entre outras personalidades vimaranenses.

Subir para verOs primeiros metros foram percorridos a um ritmo alucinante, antevendo-se que seria uma caminhada fácil de se fazer, tal como programado no folheto turístico do trilho. No entanto, consideramos que isso não é verdade, pois não prepara os caminhantes para as reais dificuldades de uma subida dos 210 m aos 613 m, com grandes declives. Provas disso foram o espaçamento entre a cabeça e a cauda do grupo, a constante paragem de alguns elementos e a assistência médica a um participante.
Convém referir que durante todo o percurso tivemos o apoio e acompanhamento de elementos da organização, dos Bombeiros Voluntários de Guimarães, da Polícia de Segurança Pública e dos Escuteiros Católicos Portugueses.

Subir para verAo chegar ao topo do Monte da Penha e depois de assistirmos à partida da prova de atletismo fizemos um pequeno percurso guiado por Manuel Roriz Mendes, Juiz da Irmandade da Penha, onde visitamos a fonte de que nunca secou (acreditamos que sim), a Capela de Santa Catarina, a estátua de Pio IX, o penedo que abana e o do susto.

No regresso viemos de teleférico, uma excelente viagem panorâmica que nos permitiu contemplar a monumental paisagem urbana e natural e observar o crescimento e desenvolvimento da cidade de Guimarães.

Por fim, terminámos a caminhada num belo tasco da cidade.

Mais sobre o trilho clica aqui (aqui não, ali).

Eduardo F.
Rogeriomad

domingo, maio 11, 2008

"Homo-Aquarius"

Clica para contemplar Por Phermad, 2007.
[Cartoon publicado originalmente no jornal Barlavento
]

sábado, maio 10, 2008

Mete o Património no bolso...

Clica para sacar o PatrimónioQuantas vezes ficamos aborrecidos por não haver guias turísticos para nos ajudarem a descobrir o centro histórico? Quantas vezes ficamos desiludidos por termos guias turísticos que nos mostram apenas aquilo que está programado na visita?
Com esta pequena aplicação tecnológica podemos fazer uma visita áudio guiada ao Centro Histórico de Guimarães. E desta forma podemos fazer o trajecto, como, onde e com quem quisermos.


Uma ideia simples e genial! E funciona! Eu já experimentei e funciona. Mais uma boa aposta para promover o Guimarães, Capital Europeia da Cultura 2012.

Para andares com o património no teu bolso, clica aqui.

+ info

sexta-feira, maio 09, 2008

Aventura-te no PR3 "Rota da Penha"

A escadaria verde, Rogério Madeira, 2004A Zona de Turismo de Guimarães apresentará no próximo dia 11 de Maio (Domingo) o novo Percurso Pedestre com o objectivo de dinamizar o turismo cultural, de natureza e de aventura, ao mesmo tempo, que promove o pedestrianismo no concelho de Guimarães. Este novo percurso será apelidado de PR 3 “Rota da Penha” e virá complementar os percursos já implementados, o PR 1 “S. Torcato” e PR 2 “Rota da Citânia”.

Esta iniciativa surge na sequência do Plano Estratégico Nacional de Turismo (PENT) e das Orientações Estratégicas para o Desenvolvimento do Turismo no Norte de Portugal - Agenda Regional do Turismo, que apontam o Turismo de Natureza e de Aventura como um Produto Turístico Prioritário para o Norte de Portugal, em especial, para o Minho.

O PR3 “Rota da Penha” é qualificado como um percurso “Histórico-cultural, ambiental e paisagístico” e atinge uma distância de 8,5 km e uma duração de cerca de 3 horas. Está classificado como um percurso de nível de dificuldade baixo, onde há um desnível dos 210 m até aos 613 m.

O promotor é a Câmara Municipal de Guimarães em colaboração com a Irmandade da Penha e Turipenha. A implantação do percurso está a cargo da Ecoturismo, Montanha Viva. Está registado e homologado pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal.
O Beijo do Penedo, Rogério Madeira, 2004
O programa de apresentação será o seguinte:

9H30 – Concentração junto à Igreja de N. Sra. Da Consolação e Santos Passos (Campo da Feira)

10H30 – Pausa para café

11H00 – Visita guiada a uma parte do Percurso, com partida junto ao Monumento de homenagem a Gago Coutinho e Sacadura Cabral (Penedo da Águia)

A caminhada estará aberta a todos os que queiram participar.

Recorde-se que a inauguração do percurso está inserida no programa do “1º Circuito Nacional de Atletismo de Montanha – 1ª Corrida Montanha da Penha”, integrada na “5ª Taça de Portugal de Corrida de Montanha”.


+ info

quinta-feira, maio 08, 2008

Aconteceu no Vila Flor

Clica para encomendarArquitectura em Lugares Comuns
Ideias e projectos para o Vale do Ave

Um dos eventos que perdi (com muita pena) e que só hoje tomei conhecimento (daí, ter perdido). Este evento, composto por um concurso e um seminário de arquitectura, teve o objectivo de "premiar e debater soluções arquitectónicas inovadoras para áreas urbanas que não se inserem nas definições tradicionais de cidade." Da organização deste evento, resultou a edição de um livro que contém os 13 projectos apresentados no concurso que antecedeu o seminário. Podem encomendá-lo aqui.

Uma vez que não estive presente, deixo-vos apenas este breve texto que noticiou o evento:
"Optimistas? Sim, com certeza. Essa terá sido talvez a conclusão mais ampla e significativa do seminário que, nos dias 3 e 4 de Abril, preencheu o grande auditório do Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães.
Discutia-se como é que a arquitectura pode ser útil e com que instrumentos pode operar nos territórios urbanos que, pelas suas características, contém muitas problemáticas diferentes dos tecidos urbanos ou rurais de formação tradicional. Foram apresentadas obras, teorias, projectos, ideias, propostas, alternativas, fotografias, textos, ilustrações, animações, etc. Foram dois dias de debate intenso e animado do qual, os resultados mais operativos, serão visíveis ou invisíveis conforme o tempo e a memória.
Uma ideia foi conclusiva: os arquitectos vão continuar a projectar e a transformar, com optimismo, para que se consiga uma transformação positiva. Como? Nada como projectar para saber a resposta."
+ info:

terça-feira, maio 06, 2008

Geografia criminal

Clica para verO WikiCrimes é uma ferramenta cibernética que permite a visualização e registo das ocorrências criminais (roubo, furto, homicídio, outros) no computador a partir do mapa-mundí digital (tecnologia Google).
Este projecto foi desenvolvido por Vasco Furtado, professor na Universidade de Fortaleza e tem como objectivo identificar os locais onde ocorrem os crimes, não só, para informar o cidadão, mas, também, para orientar os orgãos e as entidades públicas no que se refere à adopção de políticas de planeamento.

O Wikicrimes segue as mesmas linhas de orientação da enciclopédia Wikipedia, ou seja, tem como princípios a participação individual dos visualizadores que "pode gerar uma sabedoria das massas". O mapeamento criminal é feito de forma colaborativa "e todos terão o benefício de ter acesso às informações de crimes no mapa".

Recordo que Portugal ainda não regista nenhum crime. Somos tão pacíficos. Nem mesmo o suposto rapto de Maddie está registado. Estranho!

+ info:
WikiCrimes: wikicrimes.org
Blog do Prof. Furtado: vfurtado.blogspot.com

domingo, maio 04, 2008

"Uma estranha ilusão de segurança"

Clica para contemplar Por Phermad, 2007.
[Cartoon publicado originalmente no jornal Barlavento
]

sexta-feira, maio 02, 2008

Estes estranhos nomes... (V - Conclusão)

E voltamos nós à toponímia, com o fim do artigo de Miguel Esteves Cardoso que viemos publicando nos últimos tempos. Divirtam-se.

Devia haver uma Comissão para a Decência Onomástica, que tratasse de nomes como Casal do Gorta Rabos (Alcobaça), Mal Lavado (Odemira), Casal da Porcaria (Leiria) e Ripanço (Proença-a-Nova) como problemas. Porque são problemas. O trabalhador que todos os dias se desloca de Proença para o Ripanço não tem de estar sujeito a dizer, até ao fim da sua vida natural: “Bem, lá vou eu para o Ripanço”.
Qual o construtor civil que se sente tentado a empreender a construção de novos fogos em lugares chamados São Paio da Farinha Podre (Penacova), Casal do Esborrachado (Almeirim), Triste Feia (Leiria), Parola (Mafra) ou Farta-Vacas (Lagos)? Não faz sentido estar a empatar capital e mais tarde ter de comprar meia página no Expresso a dizer: “Urbanização Triste Feia - um espaço Alegre-e-Bonito para a sua habitação”. Não seduz.
Para mais, a língua portuguesa é tão bonita que não seria difícil arranjar variantes. Entre os nomes que já estão apanhados, há Água Alta (uma em Figueiró dos Vinhos, outra na Covilhã), Casas Próximas (umas no Funchal, outras no Machico), Chão de Meninos (em Sintra), Alto do Fogo (Lousada), Águas Partidas (Marvão), Amor (Leiria). No capítulo da ciência, há nomes que fazem sorrir. Mesmo assim, para quem mora neles, devem ser muito maçadores. Há em Chaves um Raio-X e, como se isso não bastasse, um Entroncamento do Raio-X. Em Alcobaça, em contrapartida, há uma (mais portuguesa) Engenhoca. A “Bê-dê” continua com Telégrafo (em Tomar) e Arquitecto (em Mafra). Em Grândola, há uma Aldeia do Futuro. Em que outro país europeu é possível sair um dia de automóvel e fazer o trajecto Raio-X - Entroncamento do Raio-X - Engenhoca - Telégrafo - Arquitecto - Aldeia do Futuro??!!
Também deve ser difícil arranjar outro país onde se possa fazer um percurso que vá da Fome Aguda à Carne Assada (Sintra) passando pelo Corte Pão e Água (Mértola), sem passar por Poriço (Vila Verde), e acabando a comprar rebuçados em Bombom do Bogadouro (Amarante), depois de ter parado para fazer um chi-chi em Alçáperna (Lousã).
(Bogadouro é o Mogadouro quando se está constipado.)
E basta!

quinta-feira, maio 01, 2008

Maio maduro maio?

Vidal, Braga (01.05.08)

A tradição dos maios (aquelas flores que se observam na imagem) perde-se na imensidão do tempo. Terá começado numa celebração primaveril pagã, representando hoje (também de forma pagã mas num contexto cristão – Deus e o demónio), pelo menos em Barcelos e Braga, uma forma de não permitir ou de afastar, se quisermos, o diabo das casas e das (suas) vidas. Por isso fixam-se os maios em portas e janelas.

Entretanto também é o Maio do trabalhador. Dia primeiro. Para comemorar, os combustíveis subiram pela 14ª vez, apenas este ano; a especulação financeira provoca aumentos nos cereais e café, para melhor garrotear os “não capazes” segundo a sua ordem internacional. Plantam-se cereais (mas não no nosso quintal comum - UE), ainda assim, para alimentar a nossa sede de combustíveis bio, quando existem outras fomes para saciar. Tudo para o “bem comum”, num ciclo vicioso e infame.

Não sei, não sei mesmo, se o diabo não estará entre nós. Se assim for, haverá maio que lhe chegue?...