quarta-feira, novembro 30, 2005

quinta-feira, julho 28, 2005

domingo, julho 03, 2005

sábado, julho 02, 2005

Governo cria Zonas de Intervenção Florestal

Para resolver problemas da pequena propriedade
Governo cria Zonas de Intervenção Florestal


"O Governo aprovou ontem em Conselho de Ministros o Decreto-Lei que prevê a criação de Zonas de Intervenção Florestal (ZIF), para procurar solucionar os problemas estruturais da pequena propriedade sem gestão florestal.
O objectivo é possibilitar “ganhos de eficiência”, através de “incentivos ao agrupamento de explorações, emparcelamento de propriedades e desincentivação do seu fraccionamento”.
O documento estabelece as condições que permitem aos proprietários interessados “gerir activamente o seu património de forma conjunta e inseridos em áreas com dimensão e com a gestão técnica correcta”, informa uma nota do Ministério da Agricultura.
As ZIF – através das quais o Governo pretende reduzir o risco de propagação de incêndios – são “áreas territoriais contínuas constituídas maioritariamente por espaços florestais”, com um plano de gestão florestal, um plano de defesa da floresta contra incêndios (de carácter vinculativo) e geridas por uma única entidade.
A área mínima territorial para criar uma ZIF é de mil hectares.
De acordo com o Decreto-Lei, estão previstos prémios para as ZIF, “em função dos objectivos atingidos e da obtenção da certificação florestal da sua gestão”.
O documento institui ainda a obrigatoriedade da constituição de um fundo comum para financiar acções geradoras de benefícios e de apoio aos proprietários."

sexta-feira, julho 01, 2005

SIG

Este site (http://www.dpi.inpe.br/livros/bdados/capitulos.html) é para o pessoal que se interessa por SIG. Ainda não li toda a bibliografia disponibilizada, mas parece bastante interessante.

quinta-feira, junho 30, 2005

ArcGis

Pelo que tenho visto, um geógrafo para singrar no mercado de trabalho tem de ter conhecimentos de SIG, o que implica o dominio de software especifico como é o caso do ArcGis. Deste modo deixo aqui um site, muito bom, onde é possivel ter formação certificada pela ESRI (http://campus.esri.com/).

quarta-feira, junho 29, 2005

Reciclagem de embalagens de plástico que contiveram óleos alimentares

Investigação da Indústria facilita inovação no processo de reciclagem. Sociedade Ponto Verde Anuncia Reciclagem para Embalagens de Óleos Alimentares

"A Sociedade Ponto Verde (SPV) anuncia que vai ser possível a partir de hoje reciclar as embalagens de plástico que contiveram óleos alimentares, uma medida que exigiu adaptações da parte da Unidade que recicla as embalagens de plástico de PET (tipo de plástico utilizado para produzir garrafas de água, óleo, refrigerantes, etc) e que vai permitir incrementar as taxas de retoma. Com a retoma das embalagens de óleos alimentares a reciclagem urbana do plástico pode crescer 7%.

Até ao momento, as embalagens de plástico que tivessem contido óleos no seu interior não podiam ser recicladas em Portugal. No entanto, para proteger o ambiente e com o objectivo de aumentar o número de embalagens recicladas, foram efectuadas investigações para tornar possível a reciclagem destas embalagens.

A Selenis, empresa que fornece matéria-prima de PET às indústrias de embalagens e à indústria têxtil através de fibras, e que possui nas suas instalações a Selenis Ambiente uma moderna unidade industrial, para absorver todo o PET separado pelos consumidores, desenvolveu ensaios industriais com vista à reciclagem dos resíduos de embalagens de óleos alimentares.

No âmbito das pesquisas efectuadas e após algumas alterações relacionadas com o impacto da introdução deste processo no meio ambiente, a Selenis Ambiente está agora habilitada a reciclar os resíduos de embalagem de óleos alimentares, contribuindo para uma melhor alternativa no encaminhamento e destino final destes resíduos, tornando possível a produção de novos objectos com a matéria prima transformada.

Segundo Henrique Agostinho, Responsável de Comunicação da Sociedade Ponto Verde, “A reciclagem das embalagens de óleos alimentares é muito importante na medida que representa uma elevada fatia das embalagens utilizadas pelos consumidores que agora poderão ser separadas e posteriormente recicladas. Agora os consumidores têm a vida facilitada, uma vez que todas as garrafas de plástico são para colocar no ecoponto, sem excepção”.

E continua, “esta medida tem também consequências positivas para o ambiente, pois são alguns milhares de unidades anuais que são transformadas em nova matéria-prima.

Henrique Agostinho acrescenta, “Foi com grande prazer que a Sociedade Ponto Verde recebeu esta inovação da Selenis pois esta novidade representa fortes mudanças na reciclagem nacional, elevando-nos em vários níveis de qualidade da reciclagem europeia.”

O Plástico Pet
O PET, em cuja produção a Selenis Ambiente se especializou ao longo dos últimos 40 anos, é um dos materiais plásticos mais versáteis que se conhecem. Permite fabricar embalagens nas mais diversas formas, cores e graus de transparência, para os produtos mais diversos. A sua pureza e brilho são muito apreciados por embaladores e consumidores finais. Conhecida e utilizada em todo o mundo, a embalagem PET tem um ciclo de vida completo e amigo do ambiente.
É difícil imaginar o nosso dia-a-dia sem embalagens. O PET é o material plástico que mais tem crescido e evoluído em termos de aplicações. É cada vez mais utilizado, não só em embalagens para água e outras bebidas, mas também e cada vez mais, em embalagens para produtos alimentares, cosméticos, detergentes, brinquedos, chapas para matrículas e sinalética, tubos de ensaio, linhas e redes de pesca, etc.
As principais características das embalagens produzidas com PET são a sua transparência, grande resistência ao impacto, a sua leveza e o brilho intenso. Para reconhecer as embalagens de PET, basta verificar se na base têm o número 1 ou a sigla PET no centro das setas. Os outros números correspondem a outros tipos de plásticos. Uma das principais aplicações do PET é a produção de embalagens.
Para a SELENIS as embalagens de PET são uma solução de embalagem sustentável. A reciclagem de embalagens de PET pós-consumo é um passo fundamental na conservação e reutilização de recursos e, para além disso, é economicamente viável, ambientalmente justificável e socialmente bem aceite.
Separar as embalagens usadas de PET é um hábito novo, que merece a adesão responsável de todos e o esforço de desenvolvimento e investimento que a Selenis continuará a fazer em Portugal, por toda a parte.

Sobre a Selenis
Fundada em 1964, como joint venture entre a ICI e o grupo Fino, a Finicisa – Fibras Sintéticas SARL, iniciou a produção de fibras de poliéster em 1966, para fornecer as indústrias nacionais de lanifícios. A capacidade inicial de 4 500 ton/ano foi sucessivamente aumentada para abranger também as indústrias algodoeiras. Em 2002, na sequência da aquisição pelo Grupo Imatosgil, assumiu a (denominação actual: Selenis. Este passo implicou a alteração das marcas, que passaram de Polyclear e Trevira para Selenis PET e Selenis Wear.
Com a criação da Selenis Ambiente, Portugal torna-se um dos primeiros países europeus a dispor de uma unidade de reciclagem de PET com tecnologia “bottle-to-bottle” (garrafa a garrafa).

Sobre a Sociedade Ponto Verde
A Sociedade Ponto Verde é uma instituição privada sem fins lucrativos que tem por missão organizar e gerir a retoma e valorização de resíduos de embalagens, através da implementação do Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Embalagens (SIGRE), mais conhecido como "Sistema Ponto Verde".
Actualmente, o Sistema Ponto Verde já serve mais de 9 milhões de portugueses, o que representa 98% da população nacional, e abrange 288 concelhos (Continente e Ilhas), cobrindo assim cerca de 94% do território."
Para mais informações:
JMC — Uma Empresa do Grupo GCI
Paula Lopes
Email: plopes@grupogci.net
Tel: 21 3553037

Difundido via email

Apresentação da Georden

GEORDEN é um projeto que servirá a quem procure saber mais sobre o vasto campo da Geografia.
Será um espaço virtual de informação, de opinião e de debate de ideias. Mas não se pense que os temas publicados serão abordados com ligeireza ou descontração. Sempre que no nosso quotidiano nos depararmos com questões que se coadunem com estas temáticas, caro leitor, pode crer, cá estaremos. E desde já afirmamos que cabe a cada autor a responsabilidade dos seus textos.

O Georden assume-se com uma voz tão crítica quanto pedagógica e tão independente quanto comprometida com ideias.
Sustente o Sustentável.
www.georden.blogspot.com

A Georden

Abertura online do projecto GEORDEN - Sustentar o Sustentável