sexta-feira, maio 25, 2007

Os bons:

"Sócrates, com imensa bondade, assegurou à Pátria a liberdade de expressão e o prof. Cavaco, do lugar etéreo onde subiu, espera que o "mal-entendido" (repito: o "mal-entendido") se esclareça. Não chega. Ninguém se lembraria, como ninguém de facto se lembrou, de acusar (ou de punir) alguém por uma graçola ou um "insulto" a outro primeiro-ministro. O crescente autoritarismo do poder e o extravagante culto da pessoa de Sócrates, que o Governo promove e alimenta, é que pouco a pouco criaram o clima em que se vive e que inspirou o "caso Charrua"

Vasco Pulido Valente, in Público

2 comentários:

Vidal disse...

Parece que o dito ( a cor política NÂO ME interessa, mas parece que não é a mesma do governo, e se fosse,como seria?) entrou numa sala, onde estavam colegas a conversar e lá disse a sua graçola, provavelmente sem piada (como a maioria), e alguém foi BUFAR a dita à patroa (que nem lá estava!!).no dia seguinte, suspenso, computador "apreendido", e descobre que lhe tinham lido também o email(!)...

pormenores sem importância..claramente

Rogermad disse...

Quem foi o bufo?

Enfim...
Coisas destas há no nosso dia-a-dia... no nosso local de trabalho... para dar e vender...