domingo, julho 22, 2007

A pardalar no rio...

Vidal:Rio Cávado. Barcelos

Sinto falta do rio (Cávado), onde aprendi a nadar, onde as mulheres lavavam a roupa, onde se passava parte do verão. Local de piqueniques épicos, esconderijos insondáveis, amores fugazes. Depois, em nome de um tal de desenvolvimento, INSUSTENTADO, vararam o rio de balas. Debalde. O “desenvolvimento” esmoreceu. O rio ali está. Sem gente. A cidade de costas voltadas…

Sem comentários: