quarta-feira, março 28, 2007

“ALLgarve CamaLION"

Clique para mudar de cor Por LEM.


Não estou contra a denominação da nova marca “Allgarve”. Moro no Algarve há 25 anos e sempre estive habituado a estrangeirismos. Por todo o Algarve assistimos a este fenómeno. O importante é que a marca “Allgarve, lançada recentemente pelo Sr. Manuel Pinho, tenha sucesso para bem do Algarve e todos algarvios (“Allgarvios”).

Na Serra Algarvia já há quem pense que se diz “Allfarroba” e não “Alfarroba”. Por isso, convém esclarecer que não se trata da substituição da designação “Algarve” por “Allgarve”, mas sim da promoção de eventos culturais na Região do Algarve sob a marca/desígnio “Allgarve”. Para nós, algarvios, não devemos confundir as coisas e esperamos que os turistas não pensem que estão a visitar o “Allgarve”, mas sim o Algarve.

Até penso que devíamos tentar atingir novos mercados, não apenas o inglês:
- “Algarbe” (norte português);
- “Elgarve” (espanhol e sul americano);
- “Algarvini” (italiano);

Se cada uma destas marcas investisse 3 milhões de euros para promover eventos culturais, ao logo de todo o ano, na região, seria óptimo. Quando há “cultura” no Algarve é sempre sazonal. Os apoios estatais na “cultura algarvia” surgem apenas no Verão, para inglês ver.
Vejo muito dinheiro investido em grandes eventos (muitos que pouco interessam ou passam ao lado dos algarvios), mas não vejo nada quando se trata em apoiar pequenos grupos/associações culturais da região. São eles que mostram o que é o Algarve e a cultura algarvia.

Devíamos fazer o seguinte inquérito à população algarvia:
- Sabe o que foi o Algarve Summer?
- Presenciou algum evento sob o desígnio Algarve Summer?
- Vai assistir a algum evento programado no Allgarve – Experiências que marcam?
As respostas seriam óbvias, pois o público-alvo destes investimentos foi/é, essencialmente, estrangeiro.

Mas compreendo que devemos pensar em termos económicos/políticos:
“Organizar eventos para encher hotéis. Hotéis cheios, geram dinheiro. Se há dinheiro, há emprego. Se há emprego, não há desemprego. O governo pode ficar descansado.”

Em anexo, deixo-vos três artigos publicados no “Postal do Algarve”, “Barlavento” e na "Visão", do dia 22.03.07 e


Clique para lerClique para ler
Clique para ler Clique para rir

7 comentários:

acunha_da disse...

Concordo! E mais, acho q o q devia ser verdadeiramente discutido é o logotipo que deram ao evento... o q é "aquilo"??? uma parada gay??
Mas ja agora acho q tinha ficado bem melhor se fosse "All to algarve" mas isso sao só opinioes :P

PS- Ja agora "Parabens" e boa sorte para a "nova jornada" :)

Rogermad disse...

Por acaso não vi o logotipo.
Ou serão apenas aquelas letras ALLGARVE com cores à Benetton?

acunha_da disse...

é esse mesmo... infelizmente!!

Rogermad disse...

Pois...

E a melhor...
é que o "Allgarve" já não é novo...

Criar uma marca que pretendia ser original...

Afinal ontem na SIC mostrou que haviam muitos sites já registados com esse nome...

ahahah

Grande operação de Marketing...
sem dúvida...

Enfim...

Eduardo F. disse...

Nova proposta:
"Holegarve"

Por causa dos buracos (do golfe e no que a região há-de tornar-se, com tantos atentados à integridade do território...)

Rogermad disse...

Para mim devia ser...

"Hallgarve"

Porta de entrada de Portugal é o Algarve...

ahahah

Eduardo F. disse...

Ai é? Volto a insistir: porque não "Fallgarve"?

Já vai havendo turistas que vão torcendo o nariz a um tipo de turismo destruidor da paisagem, como o continua a ser o do Algarve...

E, nós, contentinhos dos resultados obtidos, exportamos esse modelo para outras zonas do país. Quando verificarmos que o paradigma mudou, toca a mandar tudo abaixo e fazer de novo!

Daí, "Fallgarve" (não por causa das arribas, ou pensavam?)