sábado, julho 20, 2013

Crónica de uma morte anunciada*: cidade de Detroit declara bancarrota




A cidade que é considerada o berço da indústria automóvel norte-americana, e que foi fundada há mais de 300 anos, não consegue sair do poço de dívidas em que tem vindo a afundar-se e, por isso, pediu protecção judicial ao abrigo do capítulo 9 do código de falências, que só se aplica às entidades municipais.

Em 2009, a Administração Obama ajudou financeiramente a salvar dois dos grandes nomes da indústria automóvel de Detroit, a General Motors e a Chrysler. Mas desta vez, a Casa Branca não pôs dinheiro à disposição do município para tentar inverter uma situação financeira cuja gravidade fica patente no défice orçamental anual de 100 milhões de dólares. (sublinhado meu)

(ler mais aqui e aqui; imagem daqui)


(*frase roubada a Gabriel García Márquez)

2 comentários:

OLima disse...

Só não percebo por que razão s
o agora os media portugueses falam do assunto...

Vidal disse...

Não se admire: o que interessa é “salvar” os bancos e as grandes empresas (no caso da indústria automóvel foi agarrar na massa e ir produzir para outro lado).

O caso Detroit não remonta apenas à crise de 2008/09, o seu problema já vem dos anos 60 do século xx (os famosos motins). É aliás um bom exemplo do capitalismo de…produção (já existiu), ainda por cima especializado, e da mudança de paradigma.

Não é caso único, e se os nossos jornalistas quisessem também podiam investigar. Deixo apenas este link:
http://www.businessinsider.com/detroit-likely-to-file-for-bankruptcy-2013-7


um abraço