quarta-feira, julho 11, 2012

"Somos todos espanhueles"




Hoje o senhor Rajoy anunciou um "paquete" de medidas para combater a crise económica; hoje o "pacote" de Rajoy foi calorosamente aplaudido pelos deputados do seu partido...


Entre essas medidas figuram as seguintes:


• Os funcionários... um mês de salário a menos!...
• O IVA... sobe de 18% para 21%...
• Para os partidos políticos, os sindicatos e as organizações empresariais reduzem-se-lhes em 20% as subvenções...; pobrezinhos!
• Dá-se um golpe no sistema de pensões...; pois claro, porque no fundo um dependente sempre é um inútil e improdutivo!
• Baixa-se o valor do subsídio de desemprego...; 
• Acelera-se o atraso na idade de reforma e endurece-se o pedido de reforma antecipada;
• Sobem-se os impostos...; mas deixam-se soltos os ladrões de colarinho branco;
• Elimina-se a dedução na aquisição de casa...; e ter uma habitação digna vai deixar de ser um dos direitos humanos fundamentais...


Por Fernando Lucini


A mesma fórmula, a programada pelos estrategos guerreiros do tempo do Capitalismo, Miltons Friedmans e o raio que os parta a todos, aplicada a países que não conhecem minimamente, não respeitam, despeitam, e só querem fazer desaparecer do mapa.

Ou esvaziá-los de poder por completo.

"If you like you can use your flag, boys"


If you like you can use your flag, boys
If you like you can use your flag
We've got too much money we're looking for toys
And guns will be guns and boys will be boys
But we'll gladly pay for all we destroy
'Cause we're the Cops of the World, boys
We're the Cops of the World

(...)

And when we butchered your sons, boys
When we butchered your sons
Have a stick of our gum, boys
Have a stick of our bubble gum
We own half the world, oh say can you see
And the name for our profits is democracy
So, like it or not, you will have to be free
'Cause we're the Cops of the World, boys
We're the Cops of the World 

Phil Ochs, "Cops of The World"


Na canção,  gravada pela primeira vez em 1966, parece-nos cantar

And we'll find you a leader that you can elect

Mas ele canta 
And we'll find you a leader that you can't elect

As intervenções militares, com as guerras preventivas, danos colaterais, fogos amigos, guerras ao terror, "shock and awe", José Cousos e bases militares espalhadas por todo o mundo estavam (?) para os tempos da Guerra Fria como os FMIs, os BM, os Golden Sachs, as agências de rating, as OMC's estão para os "reajustamentos económicos" hoje.

E é vê-los cair, em dominó, e os seus decisores serem substituídos pelos chefinhos e líderes não eleitos que já passaram pelas empresas e multinacionais e servidores do poder dos bancos e das agências financeiras que efectivamente controlam todos os aspectos da vida que passam pela moeda bastarda de troca social que é o dinheiro, incluindo o que vais comer amanhã - ou se vais comer-, as notícias que vais ver e as notícias das quais não vais querer ouvir falar, por serem chatas e te terem feito a cabeça para não prestares a mínima atenção ao que realmente importa e afecta o teu dia-a-dia...

Irlanda, Islândia, Portugal, Grécia, Espanha, Itália, quiçá França, talvez até Alemanha.. (a propósito, a taxa de inflação na Alemanha, dizem os média em rodapés, baixou para 1,7%...).

Pelo caminho, vidas destruídas e erradicação... não da pobreza mas dos pobres.
Porque é bem mais democrático (não é em Democracia que dizem que vivemos? e que é este o culminar do progresso das sociedades humanas, o tal "fim da História", seu Fukuyama duma figa que, nem eu sei, já deves ter revisto todas as tuas teorias benfazejas para a espécie neandertal que rasteja por esta Terra...) deixar morrer de fome milhões de homens do que matar, com guerras civis, mundiais ou regionais (todas as guerras são regionais...), os mesmos milhões.

Independência.
In-dependência.

In-de-pen-dên-CIA.
IN-de-PEN-DÊN-cia.

IN-DE-pen-dên-cia.

Sem comentários: