quinta-feira, abril 12, 2012

Braga quer recuperar primazia cultural sobre Compostela

"Os responsáveis pelo plano de regeneração urbana de Braga esperam que as obras em curso na cidade sejam decisivas para uma promoção que recupere, no contexto cultural europeu, a primazia da ‘Cidade dos Arcebispos’ sobre Santiago de Compostela. O vice-presidente da Câmara de Braga, Vítor Sousa, que superintende o plano de regeneração urbana, sublinha que “Braga tem de fazer valer na Europa e no resto do Mundo a posição de destaque que lhe cabe na cultura europeia”. "
Notícia de há uns dias, daqui



Ahaha,

Bem, há dois anos, a propósito do Xacobeu, tiveram o Jean-Michel Jarre, que encheu de milhares a Praza do Obradoiro.

Será que está na calha... o Vangelis em Braga?

Não, deixemo-nos de piadas culturais. O melhor será mesmo criar uma praça onde as pessoas gostem de estar.

Olhem, ali a uns 19 quilómetros têm pelo menos duas... como é que eles conseguem? E não, não é por causa de estarem a ser capital europeia da cultura.

Andamos intrigados? As pessoas perguntam-se porquê. Mas não é só a configuração da malha urbana, não. Se repararmos bem, perceberemos diferenças de mentalidade. E como cremos não ser deterministas, nem ratzelianos, mas mais delablachianos, analisemos como isso pode mexer com muita coisa.

Pois não é verdade que em matéria de questões humanas, as obras destes não são feitas se não houver vontades? (atentem no plural).

Em relação à dita regeneração urbana de Braga, esperai que em breve cá viremos deitar as nossas limalhas arranhadoras de joelhos dos crentes que até vão a Fátima todos os dias mas têm que levar com obras que não entendem lá muito bem e quem paga é o mexilhão...

2 comentários:

Anónimo disse...

Faz todo o sentido reavivar a lenda de santiago em Braga: Compostela nasceu 900 anos depois de Braga e a lenda de compostela é uma fraude cultural. Braga teve de facto um papel muito importante para a expansão do cristianismo na Europa (Compostela surge muito depois...)

Antonio Rio

Edward Soja disse...

Obrigado, amigo António, pelo acrescento cultural. O seu, sim.

:)