quinta-feira, janeiro 13, 2011

Quando os cães uivam (Ecologia Humana)

Imagem retirada daqui, retirada doutro lado...


Ouço uivar um cão.

Por entre os vários ruídos que se ouvem pelo dia, como pela paisagem, ouço uivar um cão. Mas não vejo esse cão.

Levamo-los para um descampado.
Ou para o meio de campos que ainda vão sendo agrícolas.
Mas poderão vir a ser campos de jogos.
...
Levamo-los para longe de nós.
Longe da vista, longe do coração?


Assim chegados, procuramos um cão assim-assim.
Procuramos já com uma ideia do cão que procuramos ou vamos simplesmente à procura de um cão. Do cão que uiva.


Somos bem recebidos.
"Querem é restituí-los aos donos." (O seu a seu dono; vai maomé à montanha...e demais invenções sociais seculares do estilo, negadas ou que ficam pelo caminho das esperanças...)

Todos os cães encontram uma casa.
Para não andarem a vaguear.
Como um vagamundo.

Que todos os seres vivos têm direito a um lar.
Todos os seres vivos têm direito a acolhimento...
Princípio fundamental da felicidade.
Princípio que não vem na Constituição dos povos organizados
Que tão-pouco vem na Constituição dos povos desorganizados.


Dizia a canção ocultada e esquecida, uma canção não mais aprendida na vida:

"Mas já basta de miséria
Isto agora vai ser diferente
Não haja gente sem casa
Enquanto houver casas sem gente."


Sim, "Casas, sim! Barracas, Não!", canta o Grupo de Acção Cultural.
Canta o GAC todas as vezes que pudermos e quisermos.
Todas as vezes que ouvirmos e cantarmos.
...

"Não me obriguem a vir prà rua gritar!"


Que tem um canil que ver com a SPA - Sociedade Protectora dos Animais ?
Que têm este acolhimento e atendimento ao público que ver com o desaparecimento dos nossos fieis e queridos amigos?

Mas ouvimos vozes que nos dizem:

"Surgem de noite.
Trazem o medo.
Batem à porta.
Roubam-nos o conforto...

... o conforto de um afago,
de uma companhia,
de tantos momentos partilhados,
... a ternura
de uma cumplicidade na solidão...

Vêm sem avisar.
Actuam de noite.

E levam-nos para os canis.
Levam o cão que uiva."

...

Queixas, barulhos, incómodos - denúncias.
O homem contra o homem.
Vizinhos, uns contra os outros.
(O que é a sociedade?)

Quando todos eles, uns e outros, o que querem é ser felizes...

(Novamente o divórcio...)


Que tem um canil que ver com a SPA - Sociedade Protectora dos Animais ?
Que têm este acolhimento e atendimento ao público que ver com o desaparecimento dos nossos fieis e queridos amigos?


Amigo que uivas, que sejas bem acolhido.
Não és meu. Nem eu te pertenço.
Amigo que uivas, que sejas acarinhado e tenhas aquilo que realmente mereces.
Sei que não partiste por falta de carinho.
Quero acreditar que partiste, ou que te levaram, porque alguém mais uivava.
Que alguém uivava mais.
E que precisava da tua companhia.

(Novamente o divórcio.)

Estamos a ficar cada vez mais sozinhos.
Estamos, cada vez mais, a ficar sozinhos.
E eu não consigo compreender este absurdo.

Se todos, o que queremos é... ser felizes.


Não consigo compreender este absurdo.
E uivo.

1 comentário:

Anónimo disse...

La ringrazio per Blog intiresny