domingo, junho 28, 2009

Música das regiões - Mediterrâneo (cont.)

Continuando em torno do maior berço de civilizações, passamos agora pela Itália, pela Tunísia e pelo Líbano. São mais três grandes e representativos nomes da cultura musical aqui no Georden.
Relembramos a quem nos visita que as músicas podem ser escutadas na AntenaGEO, na barra da esquerda, um pouco mais abaixo.


Intérprete: Lucilla Galeazzi
Origem: Itália
Tema: È tempo dell'amore
Extraído do álbum "Amore e Acciaio", de 2005

Lucilla é apenas um dos inumeráveis e espantosos exemplos da riqueza musical da Itália. Nascida em Terni, na região da Úmbria, bem no centro do país, este é ainda o seu álbum mais recente. As suas canções sintetizam várias influências, sempre num espírito de grande vivacidade.


Intérprete: Anouar Brahem Trio
Origem: Tunísia
Tema: Parfum de Gitane
Extraído do álbum "Astrakan Café", de 2000

Anouar Brahem, que esteve no Braga Jazz em 2006, é um dos mais internacionalmente reconhecidos tocadores de "oud". A tal popularidade não pode ser alheio o facto de gravar para a presitigiada editora ECM. O ambiente das suas músicas transmite serenidade e beleza. A descobrir com tempo e paixão.


Intérprete: Fairouz
Origem: Líbano
Tema: Habbou Badoun
Extraído da compilação "Golden Songs"

Podemos quase dizer que Fairouz está para o Líbano como Amália para Portugal. As suas primeiras interpretações editadas datam dos começos da década de 1950 (!), quando acompanhava o ensemble dos irmãos Rahbani. E dizemos quase, pois, entre outras coisas, a cantora é uma lenda ainda entre nós. A sua discografia é extensíssima e a cantora tem um repertório de mais de 1500 canções (!!). Mundialmente famosa pela sua voz, Fairouz é a marca da divisão de eras na música árabe.
Bem tentámos, através do site mais completo sobre a embaixadora da cultura libanesa, mas não conseguimos descortinar de que ano será esta canção nem em que disco terá surgido pela primeira vez. No entanto, não podíamos deixar de a trazer. Deliciem-se. E partam à procura de mais. Vivamos curiosos.

Sem comentários: