segunda-feira, junho 29, 2009

4 Anos São Passados


Estimados visitantes,

Desde os seus inícios que o projecto Georden assumiu um carácter interventivo, participativo e - dentro das nossas modestas possibilidades - pedagógico. E foi sempre esse o espírito por que nos pautámos e que tentámos estimular em quem nos visita.


São inúmeras as virtualidades desta plataforma de comunicação que usamos, muitos de nós, para propor ideias, acrescentar conhecimentos, divulgar eventos e informações, manifestar - sustentando-as - as nossas opiniões, dar as nossas achegas ao que nos merece destaque e - sobretudo - lançar o debate sobre as questões da sustentabilidade e das concepções de desenvolvimento humano, social, cultural e económico.


Tais virtualidades, a seu devido momento, podem revelar-se inesperadas, fulgurantes na sua rapidez e na sua grandeza. Aí senti(re)mos o poder da comunicação. O rumo que as sociedades levam, ora guinando a bombordo, ora invertendo a estibordo, atirando com tais mudanças de direcção muita gente para fora do barco, assenta na forma como usamos e deixamos usar a comunicação que rege a vida em sociedade.


Nem sempre os dias são contados, nem sempre os dias são vividos intensamente. É o que acontece forçosamente a quem acaba por verificar que, no dia seguinte, afinal ainda cá estava. E se a frequência com que nos empenhamos na actualização nem sempre é a necessária, deixando muitos assuntos passarem ao lado, esmorecerem, isso conforma e dá mais significado ao uso do termo "virtualidades".

Oceanos revoltosos de caracteres, sons e cheiros, picadas dos mais variegados insectos e atropelos das mais belas máquinas que criámos são aquilo que sofremos dia-a-dia, nesta sociedade a que (quem?) chamam "sociedade de informação". Como a dicotomia "crescimento vs. desenvolvimento", que desde sempre assumimos como auto-evidente (mas, se for preciso, estaremos cá para sustentar os porquês de a encararmos assim), temos também uma outra, que nos vai tolhendo o cérebro e, por consequência, os membros: é a dicotomia "sociedade da informação vs. sociedade do conhecimento". Sociedade informada parece sê-lo. Mas será esclarecida? Consciente?


O tempo sempre foi o mesmo. Mas isso é relativo, pois vai rarefazendo-se quando o distribuímos em parcelas cada vez mais numerosas para as diversas tarefas que nos apelam a realizarmos. Tal como quando "sobra mês para pouco dinheiro". E por isso, desde cedo no nosso percurso pessoal, enquanto ser pensantes, a questão dos valores vem inevitavelmente ter ou chocar connosco.


Plantar uma árvore é mais importante que ler um blogue? Talvez. Esse fundamental gesto pode, também, ser consequência de ler um artigo num blogue. Bendito seja aquele que o consegue.

Cabe-nos avaliar (= dar valor, ponderar, retirar daqui para pôr acolá...). Cabe a nós saber avaliar. Cabe a nós (não há mais ninguém) aprendermos a avaliar. E para aprender a avaliar, temos de começar, para não cair numa petição de princípio, com um mínimo de inteligência, para destrinçarmos aquilo que nos vai "in-formando".

Quando um dia acharmos mais importante não ligar o computador para poupar energia, isso resultará (talvez...) de:

a) da mudança do entorno,
b) da mudança de nós próprios,
c) de ambas as mudanças

Compete a cada um de nós ajudarmos a que a) seja mais uma consequência de b) que o contrário. Do resultado desse jogo também se fazem leituras do nosso poder e autonomia enquanto indivíduos numa sociedade.


Durante estes quatro anos que hoje se completam propugnámos o debate e a discussão de ideias. Reciclar é preciso e sempre possível.
Renovamos os votos da participação pois é com essa candeia acesa que vamos prosseguir o nosso caminho.

O Georden está de parabéns, como o estão todos aqueles que nos visitam.
São muitos, alguns ou poucos. E todos podem contribuir, participar, melhorar. A sociedade é também de comunicação!

As possibilidades estão aí.
Usemo-las e tornemos a palavra "virtualidade" um pouco menos risível e desmobilizdora.

3 comentários:

J.S. Teixeira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
drm disse...

Parabéns pelo vosso empenho em promover e dar a conhecer que o nosso planeta é rico e belo em recursos naturais e a transformaçao pela mao do Homem tem coisas boas mas outras nem sempre tem os efeitos mais sustentaveis.

Ja agora ficam os agradecimentos especias pelo destaque as iniciativas do Drmakete e do Terminal Studios ao longo destes anos.

abraços e boas caminhadas!
drm

zedeportugal disse...

Embora muito atrasados, deixo aqui os meus parabéns pelo vosso 4º aniversário.
A luta por um Portugal melhor teve tantas frentes durante esta tenebrosa legislatura que se tornou impossível acompanhar com regularidade algumas delas.
Ainda assim foi possível denunciar algumas das situações de atropelo mais gritante promovidas por este péssimo governo.
A última que consegui chegar a publicar foi esta:
http://umjardimnodeserto.nireblog.com/post/2009/05/11/a-verdadeira-vocacao-de-portugal-e

Muitos outros atropelos ficaram por denunciar, por absoluta falta de tempo.
Alguns com muita pena minha, como por exemplo aqueles dos PINs que muito gostaria de ter acompanhado e continuado após este postal único que publiquei sobre o assunto:
http://umjardimnodeserto.nireblog.com/post/2008/02/23/os-piores-projectos-de-jose-sousa

Já agora aproveito para vos perguntar se conhecem algum link para o famoso mapa que o jornal Sol publicou na edição referida nesse postal, pois a imagem que ali estava linkada desapareceu sem deixar rasto.

Uma vez mais vos congratulo pelo vosso esforço e perseverança.

Abraço.