sexta-feira, outubro 07, 2011

Um buraco na cabeça (lá dentro...)

Este ano, a camada de ozono sobre o Ártico ficou tão rarefeita que, pela primeira vez, se pode considerar um novo buraco, a juntar ao da Antártida. Na faixa dos 20 km de altitude, a perda do gás chegou aos 80%, garante um estudo publicado na revista Nature. Os culpados foram os ventos de alta altitude, que baixaram as temperaturas na estratosfera, durante vários meses. A camada de ozono protege a superfície da Terra de raios ultra-violeta - e, ao contrário do buraco da Antártida, que não tem uma população residente, o do Ártico deixa muita gente vulnerável.

Visão, 6.10.2011, p.85


1 - Com que então os culpados foram os ventos... Muito bem. Continuemos, então, a deixá-los ser, coitado...

2 - A nossa preocupação para com o buraco do ozono mede-se com a existência de seres humanos que podem sofrer com ele. ... Se nós pudéssemos, fazíamos uma permuta e colocávamos o buraco todo lá em baixo, então. Assim, já não deixaria ninguém vulnerável.


... Ah... mas que interesse tem isto tudo, quando, num canal de economia, 4 pessoas em torno de uma mesa discutem quanto vai custar a reconstrução da Líbia e do dinheirinho, vampiros, que poderão ganhar com isso?

Sem comentários: