domingo, outubro 09, 2011

Quando virarmos as costas às costas, é tarde. Como sempre.

Porque as coisas se passam nas nossas costas.
E não é que não tenhamos interesse ou preocupação por estas matérias.
A questão é que...
(desculpas...

desculpas...

desculpas...)

- E tu, que fizeste para evitar?
- Eu?... nada.
- E tu, fizeste alguma coisa? Estás aí com essa basófia, sim, diz lá, e tu?, fizeste alguma coisa? Porque não me avisaste??
- ...
- Sei lá, podíamos ter feito alguma coisa...

Etc. etc...


O Projecto Hidroeléctrico do Sistema Electroprodutor do Tâmega (SET) compreende as infra-estruturas hidráulicas dos Aproveitamentos Hidroeléctricos de Gouvães, Padroselos, Alto Tâmega e Daivões, cuja construção está prevista no Plano Nacional de Barragens, que contempla um total de 10 barragens (8 das quais encontram-se já adjudicadas).

Este projecto apresenta impactes ambientais muito significativos, entre os quais a transformação, fragmentação e degradação dos ecossistemas na bacia do rio Tâmega, incluindo a criação de barreiras incontornáveis para espécies migradoras como a enguia (já dizimada nas bacias do Douro e do Tâmega) e a degradação dos habitats de algumas das últimas alcateias do lobo – espécie classificada em Portugal como “Em Perigo”.A Quercus considera pois que o Projecto Hidroeléctrico do SET apresenta um balanço negativo de interesse público em termos ambientais e sociais – devido em parte aos impactes negativos, como as perdas irreversíveis de habitats de espécies ameaçadas ou a retenção dos sedimentos, com graves consequências na erosão costeira, para os quais não foi ainda realizado um verdadeiro estudo do balanço custo/benefício. A base de argumentação para o benefício de interesse público (geração de renováveis e redução da dependência energética externa) não está devidamente comprovada e carece de um estudo de alternativas para estes efeitos, que não foi efectuado. Será colocado em causa, de forma permanente e irreversível, o cumprimento dos objectivos de bom estado ecológico noutras sub-bacias das bacias do Tâmega e do Douro devido aos impactes cumulativos sobre a qualidade ecológica das águas.

Via Quercus.

Continuar a ler aqui.


Enquanto uns senhores tratam da sua vida, vamos ficando divididos e com os ambientes destruídos.
Será que há uma relação (entre os ambientes destruídos e o andarmos cada vez mais divididos) ?

Sem comentários: