terça-feira, março 15, 2011

Compor o ramalhete...

Projecto de Regularização, Renaturalização e Ordenamento
da Zona Ribeirinha do Rio Este”

Nova vida do Rio Este começa agora!


A Câmara Municipal de Braga inicia esta terça-feira (15 de Março) os trabalhos de “Regularização, Renaturalização e Ordenamento da Zona Ribeirinha do Rio Este”, curso de água que atravessa a zona urbana de Braga.


Adjudicada à empresa “Arlindo Correia & Filhos, SA” por 2 348 960 euros, a empreitada, que tem um período de execução de 548 dias, é financiada a 80 por cento por fundos comunitários, no âmbito do programa regional “ON 2”.
O “Projecto de Regularização, Renaturalização e Ordenamento da Zona Ribeirinha do Rio Este” incide no troço mais urbano desta linha de água, entre a Avenida Frei Bartolomeu dos Mártires e a Ponte Pedrinha, numa extensão aproximada de 2,9 quilómetros.
São seus objectivos a reabilitação e requalificação ambiental da bacia do Este, o que vai influenciar positivamente a qualidade da paisagem e a promoção do estabelecimento do ecossistema ribeirinho.
«Mediante o ordenamento da área de intervenção pretende-se também promover a utilização dos espaços ribeirinhos pela população e transformá-los num importante elemento estruturante e amenizador da paisagem», sublinha Ilda Carneiro.
Estão, assim, contempladas algumas intervenções para melhoria pontual das condições de escoamento, nomeadamente a limpeza e desobstrução do leito e margens e a redefinição de secções transversais.
As soluções propostas relativas ao ordenamento da zona ribeirinha compreendem, entre outras acções, a criação de uma via ciclável em percurso contínuo, o que melhora a acessibilidade, a segurança e o conforto dos utentes ao longo desta linha de água.
Compreende igualmente a substituição do revestimento do leito (fundo e margens) e a plantação de vegetação ribeirinha, requalificando o “corredor fluvial”.
Prevê-se ainda a criação de vários “planos de água”, através da construção de pequenos açudes, de forma a criar um corpo de água permanente.
No âmbito da intervenção está prevista a concessão de dois espaços destinados a café-bar, com esplanadas voltadas para o rio, localizados nas áreas verdes das ruas Machado Vilela e Armando Lira (Ponte Pedrinha).
Contemplada está igualmente a criação de percursos temáticos, de carácter pedagógico, que tirem partido da relação entre a distância percorrida a pé ao longo da via principal, para a relacionar com outras distâncias, como as do sistema solar ou as percorridas pelos navegadores portugueses.
São consideradas ainda algumas intervenções pontuais, como o tratamento e encaminhamento da descarga do colector da Avenida da Liberdade, os muros em alvenaria em Santa Tecla, e a limpeza e desobstrução de levadas na Zona dos Galos.
O projecto de execução contempla ainda um plano de monitorização, que consiste essencialmente na implementação de marcas de cheia, na medição de caudais e na monitorização contínua da qualidade da água.
O rio Este nasce na Serra do Carvalho, a uma altitude de 512 metros, na zona de transição entre os concelhos de Braga e Póvoa de Lanhoso, percorrendo cerca de 52 quilómetros desde a nascente até à sua confluência com o rio Ave, dos quais 23,9 quilómetros se localizam no concelho de Braga.


Comunicado aos munícipes.


Ah... já estava a ver que iam demolir os prédios que a CMB aprovou até agora (até agora, porque já não resta mais espaço...). Que alívio...


As obras e as monitorizações são necessárias.

Mas, obviamente, tinha de haver uma concessãozita qualquer a actividades comerciais relacionadas com a intervenção - estranharíamos se assim não fosse no reino da promiscuidade (público e privado, betão e qualidade...)

A maquia é gira: a desculpa do costume é a de não sermos tecnocratas, e não podermos argumentar sobre é excessiva.
Se ainda puder, talvez até derrape.
Estas coisas gostam muito de derrapar..

Sem comentários: