terça-feira, agosto 21, 2007

Meu lindo Agosto

Vidal: Braga em Agosto

Não vos irei estorvar as merecidas férias (se for o caso), ou apoquentar os poucos momentos de descanso que dispõem, depois de escutar todas as peripécias das férias dos colegas, de preferência com um ciclone de permeio. A silly season já terá por esta altura os seus heróis e heroínas.

Em Setembro, lá para meados, já esquecido de umas férias sem sol (ou com pouco) fotografias descoloridas (mas muitas), pouco “bronze” e poucas histórias de areia, quando o leitor acordar, já não se recordará deste (silly) artigo. Provavelmente o mesmo acontecerá com o escriba. Todavia, constatará que tudo se encontra na mesma: as taxas de juro continuarão em crescendo, o desemprego terá mais corpos no lago (lembram-se dos GNR?), o sr. Berardo lançará (sem sucesso) uma OPA sobre o Maria da Fonte e, por mais que as famílias não paguem os milhares de créditos que embelezam os seus dias de consumo, em Braga, sim, em Braga, continuar-se-á a construir serenamente prédios (IMÓVEIS) uns atrás dos outros, enquanto o seu centro se alimenta do seu próprio rabo até desaparecer.

Da imagem acima, retive as palavras. Saboreei-as e pensei: Sonho. Imaginei o Homer Simpson e fiz (juro!) uuh…uuuh.
Acresce referir, não sem intensa mágoa, que os ditos apartamentos de luxo se encontram em construção há mais de SEIS anos, e sem fim à vista (já falei nisto). Acresce que esta área (com a qual eu impliquei e da qual arrecado pesadelos nocturnos), que é pasto sem fundo para o olhar esgazeado do pardal geógrafo, degrada-se, definha, enquanto tapa que não tapa um ribeiro, acrescenta RETAIL PARQUE sem acessos, e depois acessa de qualquer forma, obrigando a desvios desvairados; vai construindo de mansinho pelo monte, talvez para estar mais próximo de Deus, e assim, dando a volta a qualquer situação inesperada, ou local inapropriado, provando, desde logo, a sua adaptabilidade.

Sento-me na esplanada inexistente, à procura de um sítio para descansar o olhar. Um velhote passa por mim e, sorrindo, lá vai dizendo que o Camacho vem para o Benfica. Queria-lhe dizer que sou do Sporting, mas pareceu-me silly.

3 comentários:

Anónimo disse...

silly ou não, não se entende esta construção desenfreada..procura não será. lavagens

Rogeriomad disse...

Eheh...

Outdoors, lonas, cartazes, paineis luminosos deste género são mobiliário urbano constante nas nossas cidades...

As mensagens são mesmo uuh uuuhhh...

Enfim...

Anónimo disse...

o nosso país é um imenso subúrbio ..mas bebe-se muito e do bom