domingo, novembro 18, 2012

Desapossados de poesia

Não há poesia nenhuma.
A fome destruiu-a toda.

Teremos de criá-la a partir do fogo e das cinzas que criámos no estômago vazio.

 

Sem comentários: